18°C 28°C
Água Fria, BA
Publicidade

Com a prisão de torcedores, veja situação atual das denúncias de LALIGA contra o racismo

A LALIGA lidera há anos a luta contra o racismo por meio da conscientização, detecção e denúncia.

10/06/2024 às 21h32
Por: Redação EF
Compartilhe:
Divulgação
Divulgação

A LALIGA não tem competência para sancionar clubes, torcedores ou jogadores por condutas de ódio, racismo, violência, etc. A legislação vigente na Espanha apenas permite denunciar os atos aos órgãos competentes.

Continua após a publicidade

Por isso, desde a temporada 2015/2016, a LALIGA denuncia qualquer tipo de violência ocorrida dentro e fora dos estádios à Comissão Estadual contra a Violência, o Racismo, a Xenofobia e a Intolerância no Esporte, bem como ao Comitê de Competição da RFEF.

Em janeiro de 2020, devido a lamentáveis insultos racistas dirigidos ao jogador do Athletic Club, Iñaki Williams, a LALIGA decidiu dar um passo adiante, recorrendo diretamente à justiça em casos de crimes de ódio tipificados no Código Penal, seja através do Ministério Público de ÓdioTribunais ou das Forças e Corpos de Segurança.

A LALIGA solicitou diversas vezes a modificação da Lei 19/2007, de 11 de julho, contra a violência, racismo, xenofobia e intolerância no esporte, e da Lei 39/2022, de 30 de dezembro, do esporte, para ter competência sancionadora, o que reduziria o tempo de sanção nesses casos.

Continua após a publicidade

Atualmente, no caso de possíveis sanções administrativas, o artigo 28 atribui a competência sancionadora à Delegação do Governo, à Secretaria de Estado de Segurança, ao Ministério do Interior e ao Conselho de Ministros, sem prejuízo das possíveis competências das Comunidades Autônomas.

No caso de possíveis sanções disciplinares esportivas, estas constam no Código Disciplinar da RFEF, que incorpora as infrações previstas nos artigos 34 e seguintes da Lei 19/2007, de 11 de julho, sendo o Comitê de Competição competente para sua sanção.

Quanto à atuação dos árbitros durante a partida por esses atos, a LALIGA não tem competência sobre os árbitros, que dependem da RFEF e seguem o protocolo FIFA de três passos: interrupção do jogo, suspensão temporária e suspensão definitiva. Nesse sentido, a RFEF, LALIGA e a Oficina Nacional de Esportes da Polícia Nacional estão trabalhando para definir as diretrizes a seguir daqui em diante diante desses fatos e como cada passo deve ser aplicado e comunicado.

Além disso, para acelerar a identificação de qualquer pessoa ou grupo que manifeste condutas racistas dentro ou fora dos estádios, a LALIGA possui um canal de denúncias para que qualquer torcedor possa informar sobre tais condutas.

Continua após a publicidade

A seguir, elaboramos um resumo de cada um dos casos levados à justiça pela LALIGA desde janeiro de 2020, todos protagonizados por indivíduos específicos, sem ocorrências de cânticos racistas ou homofóbicos coletivos desde então.

Resumo dos casos e a situação judicial em que se encontram

Iñaki Williams em Barcelona: 25 de janeiro de 2020, durante o jogo RCD Espanyol de Barcelona vs. Athletic Club, no RCDE Stadium. Enquanto Iñaki Williams se retirava por um dos lados, vários torcedores proferiram gritos racistas.

Atualmente, tanto a LALIGA quanto o Ministério Público apresentaram suas acusações contra o responsável, com a LALIGA solicitando a imposição de dois anos de prisão, multa de doze meses, inabilitação especial para exercer qualquer profissão relacionada ao esporte por mais de dez anos e proibição de acesso ao estádio por um tempo superior ao período de prisão imposto. O Juizado de Instrução Nº 2 de Cornellá de Llobregat já emitiu um despacho de abertura do julgamento oral.

O RCD Espanyol expulsou os torcedores identificados.

O TSJ da Catalunha decidiu que a competência para o julgamento cabe ao Tribunal Penal, e o caso está pendente de marcação de audiência.

Vinicius Jr. em Barcelona, 25 de janeiro de 2020: A LALIGA apresentou uma denúncia ao Ministério Público de Ódio de Barcelona pelos gritos que Vinícius recebeu no El Clásico no Camp Nou em 24 de outubro de 2021. O Ministério Público, após realizar várias diligências de investigação com a assistência dos Mossos d’Esquadra, arquivou o caso, “dado que não se conseguiu identificar os autores dos fatos” pelas autoridades policiais.

Vinicius Jr. em Mallorca, 14 de março de 2022: A LALIGA apresentou uma denúncia ao Ministério Público de Ódio das Baleares pelos gritos racistas contra o jogador durante o RCD Mallorca vs. Real Madrid no estádio de Son Moix. O caso foi arquivado pelo Ministério Público argumentando que “as expressões e sons proferidos, sem dúvida próprios de atitudes vulgares e desprezíveis, além de humilhantes e absolutamente reprováveis, não parecem inicialmente revestir, para o presente caso, a dimensão penal pública postulada”.

Nico Williams em Sevilla, 13 de março de 2022: A LALIGA apresentou denúncia, mas foi arquivada pelo Ministério Público de Ódio de Sevilla justificando que “apesar de não ter prestado depoimento, do estudo das redes sociais do denunciado, parece-se deduzir que ele não é uma pessoa que pretende incitar ao racismo, ou que os gestos realizados pretendiam alcançar tal objetivo. A consideração do direito penal como última instância nos faz estimar que, apesar da incorreção dos mesmos, não ultrapassam a linha da infração penal”.

Carlos Akapo em Granada, 28 de fevereiro de 2022: A LALIGA apresentou uma denúncia e, a partir dela, o Ministério Público de crimes de ódio apresentou uma denúncia aos juízes de instrução de Granada. Atualmente, o responsável pelos insultos já prestou depoimento ao Juizado de Instrução Nº 2 de Granada, aguardando-se a declaração testemunhal do jogador Carlos Akapo. Foi decidido seguir com o procedimento abreviado, primeiro convocando o Ministério Público, e posteriormente as partes envolvidas para solicitar a abertura do julgamento oral.

O Granada CF identificou o torcedor, que também se apresentou voluntariamente às autoridades policiais.

Vinicius Jr. em Madrid, 18 de setembro de 2022: A LALIGA denunciou os gritos racistas contra Vinicius Jr. dentro e fora do estádio Civitas Metropolitano, antes e durante o jogo Atlético de Madrid – Real Madrid. O caso foi arquivado pelo Ministério Público de Ódio com base no argumento de que “não há um ato concreto a ser imputado a uma pessoa determinada e, contextualizados os insultos de natureza racista, eles também não configurariam um delito contra a dignidade da pessoa afetada pelo artigo 510.2 a) do CP. E isso partindo do princípio de que são desagradáveis, inapropriados e desrespeitosos, pois foram proferidos com a ocasião da celebração de um jogo de futebol de máxima rivalidade, com outras alusões depreciativas ou zombeteiras marcadas por essa competição esportiva, além de sua natureza, que não se reiteraram além dos dois atos expostos e duraram apenas alguns segundos”.

Vinicius Jr. em Valladolid, 30 de dezembro de 2022: A LALIGA denunciou ao Juizado de Instrução nº 4 de Valladolid e se encontra parte do processo como acusação, sendo atualmente realizados diversos procedimentos judiciais. No dia 29 de fevereiro, será escutada a declaração dos investigados. Além disso, está pendente a tomada de depoimento do prejudicado Vinicius Jr. por videoconferência, tendo sido acordada a prorrogação da instrução.

O clube, na ausência de consequências penais e administrativas, expulsou como sócios os identificados por períodos entre 18 e 36 meses.

Vinicius JR em Madrid, 26 de janeiro de 2023: Neste caso, apareceu uma faixa com a frase “Madrid odia al Real” e um boneco enforcado vestindo a camisa de Vinicius Jr. em uma ponte em Valdebebas antes do jogo da Copa do Rei, entre Real Madrid x Atlético de Madrid. Apesar de não ser uma partida de sua competição, LALIGA apresentou denúncia ao Juizado de Instrução nº 28 de Madrid. Foram realizadas as declarações dos investigados e acordadas medidas cautelares solicitadas por LALIGA e pelo Ministério Público.

Formulada a acusação contra os responsáveis por parte do Ministério Público, RFEF e LALIGA. LALIGA solicitou uma pena de prisão de dois anos e 6 meses, multa de 9 meses e proibição especial para profissões no âmbito docente, esportivo e de tempo livre por um período de 6 anos. Da mesma forma, foram apresentados as defesas. As ações foram remetidas ao Tribunal Provincial de Madrid. Foi apresentado por escrito a intervenção do Real Madrid e de Vinicius Jr. nas últimas semanas.

Vinicius Jr. em Mallorca, 5 de fevereiro de 2023: A LALIGA apresentou a denúncia, admitida e aberta pelo Juizado de Instrução nº 3 de Palma Mallorca.

Após identificar LALIGA e o RCD Mallorca o autor dos insultos racistas contra Vinicius em Mallorca (mesmo responsável pelos cânticos racistas no Mallorca – Villarreal contra Chukwueze em 18 de fevereiro de 2023), foi apresentada uma nova denúncia nos Juizados de instrução de Palma de Mallorca. O RCD Mallorca expulsou o torcedor identificado por 3 anos.

Em 4 de abril de 2023: Vinicius Jr. testemunhou em tribunal, como resultado da denúncia da LALIGA. Além disso, o suspeito e testemunhas dos eventos relatados foram interrogados.

Nas últimas semanas, Vinicius Jr. solicitou sua intervenção no caso para poder exercer a acusação particular.

Vinicius em Pamplona, 18 de fevereiro de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia aos tribunais de instrução de Pamplona por cânticos racistas contra Vinícius na arquibancada do estádio Osasuna, a fim de identificar o autor. A denúncia foi encaminhada ao Tribunal de Instrução nº 4, que ordenou várias diligências de investigação. Por meio de despacho de 12 de janeiro de 2024, após realização de diligências de investigação, é decretado o arquivamento provisório devido à impossibilidade de identificar o autor dos fatos.

Samu Chukwueze em Mallorca, 18 de fevereiro de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia após a identificação do responsável pelos insultos racistas dirigidos a Samu Chukwueze (18 de fevereiro de 2023) e Vinicius (5 de fevereiro de 2023). A pedido da LALIGA, o Tribunal se inibiu em favor do Tribunal de Instrução nº 3 de Mallorca, que investiga os eventos relacionados ao jogador Vinicius Jr. Atualmente, o depoimento de Samu Chukwueze foi suspenso e ele foi intimado a apresentar uma procuração especial dentro de um prazo de 20 dias. Além disso, o depoimento de uma testemunha foi agendado. O processo foi reunido como instruído pelo Tribunal de Instrução nº 3 de Palma de Mallorca pelos insultos racistas proferidos a Vinicius Jr. A vítima, Samu Chukwueze, recentemente apresentou um documento renunciando a todas as ações que poderiam corresponder aos eventos avaliados no processo, tanto civis quanto criminais.

O RCD Mallorca expulsou o torcedor identificado por 3 anos.

Vinicius, em Sevilha, 5 de março de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia ao Tribunal de Instrução nº 10 de Sevilha. O depoimento da vítima, Vinicius Jr., foi realizado por videoconferência, assim como o do suspeito e das testemunhas. A LALIGA forneceu vídeos mencionados pelas testemunhas.

Vinicius em Barcelona, 19 de março de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia aos tribunais de instrução de Barcelona, recaindo no nº 13 de Barcelona. A pedido do tribunal, a LALIGA posteriormente apresentou uma queixa e constituiu uma fiança para poder exercer a acusação. Por despacho em 19 de julho de 2023, a queixa apresentada pela LALIGA foi admitida e foi solicitado ao Departamento Nacional de Esportes da Polícia Nacional que coletasse, estudasse e analisasse as imagens, bem como identificasse os espectadores e os locais de onde partiram os insultos.

Joan Jordán em Sevilha, 20 de maio de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia pela exibição de uma faixa com o lema "Sevilha odeia Nervión" e um boneco pendurado usando a camisa do jogador Joan Jordán na estrada de Sevilha. Por meio de despacho em 10 de julho de 2023, decidiu-se iniciar diligências e ao mesmo tempo decretar o arquivamento provisório por não estar devidamente justificada a consumação de um crime.

Vinicius em Valência, 21 de maio de 2023 (fora do estádio): A LALIGA apresenta uma denúncia em 13 de junho de 2023 pelos cânticos ocorridos, que aparecem nos vídeos fornecidos pela Promotoria, fora do estádio, e solicita a abertura de diligências preliminares, bem como investigações. Por meio de despacho em 18 de dezembro de 2023, o Tribunal de Instrução nº10 de Valência decidiu arquivar provisoriamente o processo, seguindo o critério estabelecido pelo Ministério Público, por não haver dados que permitissem identificar os autores dos fatos.

Vinicius em Valência, 21 de maio de 2023 (dentro do estádio): A LALIGA apresenta uma denúncia aos tribunais de instrução de Valência. Em maio de 2023, foram iniciadas diligências e aceite a intervenção da LALIGA como acusação particular. Foi realizado o depoimento dos investigados, do jogador Vinicius Jr. e de várias testemunhas. Foram oferecidas ações e realizado o depoimento testemunhal de Éder Militão. Em 10 de junho, foi proferida uma sentença condenatória por acordo entre os três acusados, impondo-lhes uma pena de 8 meses de prisão, proibição de frequentar estádios por 2 anos e custas judiciais. O Valencia CF procedeu imediatamente à expulsão como sócio do clube dos três investigados.

Vinicius em Palma de Mallorca, 25 de maio de 2023: Exibição de uma faixa racista contra Vinicius Jr. nas proximidades do estádio. Foram realizados depoimentos policiais e o interrogatório dos investigados. Por meio de despacho de 10 de janeiro de 2024, foi decretado o arquivamento provisório, pois não foi possível determinar a identidade dos autores da faixa.

Insultos no Wizink Center da ACB, 20 de junho de 2023: A LALIGA apresenta uma queixa aos Tribunais de Instrução de Madrid, admitida pelo Tribunal de Instrução nº 41, bem como a intervenção da LALIGA como acusação.

Vinicius Tobias Da Silva em Elda, 28 de junho de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia à Promotoria de Menores de Alicante por insultos racistas proferidos por um suposto menor ao jogador do RMA Castilla Vinicius Tobias Da Silva durante a partida de volta dos playoffs e promoção para a LALIGA HYPERMOTION. Em 7 de agosto de 2023, o caso é arquivado por o autor ser menor de 14 anos (inimputável).

Unai Simón em Pamplona, 19 de agosto de 2023: A LALIGA comunica ao Promotor de Ódio de Navarra os insultos homofóbicos proferidos a Unai Simón. O promotor apresentou uma denúncia ao Juizado de Guarda, que iniciou diligências preliminares. A LALIGA está envolvida como acusação popular. O jogador foi convocado para oferecer ações.

Menina com a camiseta de Vinicius Jr., 24 de setembro de 2023: A LALIGA comunica ao Promotor de Ódio da Procuradoria Provincial de Madrid os acontecimentos ocorridos antes do jogo ATM-RMA, onde foram proferidos insultos a uma menina com a camiseta de Vinicius e à sua tia. Em 4 de dezembro de 2023, a LALIGA é notificada de que o Ministério Público apresentou uma denúncia aos tribunais de instrução de Madrid. A denúncia foi encaminhada para o Tribunal de Instrução nº14 de Madrid, onde a LALIGA foi aceita como parte lesada. Recentemente, foi realizado o depoimento do investigado.

Aboubacary Kante em Huesca, 16 de setembro de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia ao Promotor de Ódio de Huesca pelos insultos ao jogador do Huesca enquanto ele se dirigia ao vestiário. O Ministério Público decretou o arquivamento das diligências por entender que se trata de uma reação momentânea e incontrolável por parte do torcedor.

Omar El Hilali Khayat em Cartagena, 5 de outubro de 2023: A LALIGA apresenta uma denúncia ao Promotor de Ódio de Cartagena. Uma resolução da Promotoria decreta a abertura de diligências processuais. Além disso, solicita ao FC Cartagena que envie à Promotoria uma cópia da ata do Coordenador de Segurança em relação aos insultos e às ações do clube para punir tal comportamento. O FC Cartagena cancelou o passe de temporada do investigado.

Vinicius Jr. em Sevilha, 21 de outubro de 2023: A LALIGA apresentou uma denúncia ao Promotor de Ódio de Sevilha. O procedimento está aguardando a decisão do Ministério Público. Além de identificar o torcedor investigado, o clube o expulsou como sócio.

Vinicius Jr. em Barcelona, 30 de outubro de 2023: A LALIGA denúncia em 30 de outubro de 2023 perante os Mossos d'Esquadra os insultos proferidos ao jogador Vinicius Jr. durante o jogo FCB-RMA. A LALIGA solicitou sua intervenção como parte lesada.

Tweet de Vinicius Jr. em Madrid, 12 de janeiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia em 12 de janeiro de 2024 perante a Brigada de Informação de Madrid contra um usuário da rede social X, que publicou um tweet com a legenda "Sem Piedade", incluindo um design gráfico com a imagem do jogador Vinicius Jr. simulando um enforcamento, com a boca entreaberta e os olhos ensanguentados, tudo isso sob o lema "Ódio Eterno, Maldita Madrid". Estamos aguardando notificação sobre o encaminhamento que a Polícia dará à denúncia.

Tweet de Vinicius Jr. em Madrid, 24 de janeiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia em 24 de janeiro de 2024 perante o Promotor de Ódio da Procuradoria Provincial de Madrid contra um usuário da rede social X, pela publicação de um tweet com a legenda "Ancelotti tem que levar Vinícius para o vestiário, o cara perdeu completamente o controle e está fora de si" e anexando um vídeo de um macaco vestindo o uniforme do Real Madrid. A Promotoria notificou à LALIGA a abertura de diligências de investigação pré-processuais. Estamos aguardando o resultado dessas diligências de investigação.

Vinicius Jr. em Madrid, 18 de janeiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia em 24 de janeiro de 2024 perante o Promotor de Ódio de Madrid pelos insultos racistas a Vinicius Jr. nas proximidades do estádio Civitas Metropolitano durante a prévia da partida de copa del rey ATM-RMA. Em 22 de fevereiro de 2024, a Promotoria notificou à LALIGA a abertura de diligências de investigação pré-processuais. Estamos aguardando o resultado dessas diligências de investigação.

Insultos homofóbicos em Salamanca, 26 de janeiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia em 26 de janeiro de 2024 perante o Promotor de Ódio de Salamanca devido aos gritos homofóbicos durante o jogo entre o Unionistas de Salamanca CF e o FC Barcelona na partida da Copa del rey. Por meio de despacho do Tribunal de Instrução nº3 de Salamanca, foi decidido iniciar diligências. No mesmo despacho, foi enviado um ofício à Polícia Nacional para que realizasse investigações visando esclarecer os fatos e identificar o denunciado. Por meio de outro despacho, foi decretado o arquivamento provisório, pois a Polícia Nacional não conseguiu determinar a identidade do autor dos gritos.

Vinicius Jr. em Getafe, 6 de fevereiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia perante o Promotor de Ódio de Madrid pelos insultos racistas ao jogador Vinicius Jr. na chegada do ônibus do Real Madrid ao estádio Coliseum Alfonso Pérez antes da partida entre GTF-RMA. A Promotoria notificou que iniciou diligências de Investigação Pré-Processual. Foi comunicada a remessa à Promotoria da área de Getafe-Leganés, considerando que os fatos poderiam constituir um crime contra os direitos fundamentais e liberdades públicas, na forma de lesão à dignidade e/ou um crime contra a integridade moral. A LALIGA forneceu apoio videográfico dos eventos.

Em Nesyri em Vallecas, 7 de fevereiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia perante o Promotor de Ódio de Madrid devido aos gritos racistas dirigidos ao jogador do Sevilla, Em Nesyri, durante o jogo entre Rayo Vallecano e Sevilla. A Promotoria notificou à LALIGA a abertura de diligências de investigação pré-processuais. Estamos aguardando o resultado dessas diligências de investigação.

Vinicius Jr. em Vallecas, 18 de fevereiro de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia perante a Brigada de Informação de Madrid pelos insultos e gestos feitos por um torcedor que foram capturados pelas câmeras de televisão. Notificação da Promotoria de Menores nº10 iniciando processo ao menor. Recebemos uma notificação da providência do Tribunal de Menores nº5 de Madrid, tendo a LALIGA como parte lesada em acusação particular.

Vinicius Jr. em Valência, 2 de março de 2024: A LALIGA comunica à Promotoria de Menores de Valência sobre os gritos racistas de um menor de pouca idade dirigidos a Vinicius Jr. Foi notificada uma decisão da Promotoria de Menores de Valência determinando o arquivamento do caso por não ter o menor a idade mínima de 14 anos, e as autoridades administrativas competentes foram informadas.

Vinicius Jr. em Madrid, 13 de março de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia à Promotoria de Ódio de Madrid pelos cânticos racistas proferidos nas proximidades do Estádio Civitas Metropolitano contra Vinicius Jr. durante a preparação para a partida da Champions entre Atlético de Madrid e Inter de Milão.

Marcos Acuña em Getafe, 30 de março de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia e sua intervenção como parte lesada em acusação particular é aceita. Foram agendados os depoimentos do prejudicado, do clube, do investigado e de uma testemunha.

Tchouameni, em Mallorca, 13 de abril de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia à Brigada Provincial de Informação de Madrid referente aos gestos racistas sofridos por Tchouameni durante o jogo entre o RCD Mallorca e o Real Madrid. A Promotoria de Menores iniciou diligências.

Nicholas Wiliams, em Madrid, 27 de abril de 2024: A LALIGA apresenta uma denúncia à Promotoria de Ódio de Madrid. Está aguardando a aceitação.

Outras ações da LALIGA e dos clubes na luta contra a violência e o racismo

LALIGA VS: Um projeto da LALIGA e dos clubes com o objetivo de erradicar o ódio dentro e fora dos estádios, promovendo uma sociedade respeitosa e inclusiva em todos os aspectos. Esta plataforma busca inspirar e sensibilizar os torcedores por meio dos valores do futebol para, juntos, conseguirmos construir um futebol e uma sociedade livre de ódio. Para isso, nos últimos oito anos, eles têm realizado mais de 700 iniciativas e projetos. Especificamente, nos últimos cinco anos, os clubes da LALIGA EA SPORTS e LALIGA HYPERMOTION desenvolveram mais de 44 iniciativas voltadas para combater as manifestações de ódio, com a educação como base, a prevenção por meio de campanhas de sensibilização e a ação.

MOOD: O MOOD é um monitor semanal que audita o nível de ódio e racismo que ocorre nas redes sociais relacionadas à LALIGA. É uma ferramenta externa que rastreia todas as plataformas para mostrar as métricas registradas a cada semana. Uma pontuação de 0 a 10 indica o ódio detectado, o número de pessoas que participaram dessas conversas e quantas mensagens ou conversas foram geradas. Semanalmente, a ferramenta gera um índice que reflete o nível de ódio dos usuários nas redes sociais em torno da conversa sobre futebol.

Iniciativas com Parceiros: Como aquelas realizadas em colaboração com a EA SPORTS durante as temporadas 2021/2022 e 2022/23 com a Semana da LALIGA contra o Racismo. Na temporada 2023/24, foi realizada a III Edição da iniciativa contra o racismo sob o lema #1voiceVSRACISM. Como novidade, este ano foi criado um hino contra o racismo que foi tocado em todos os estádios. Além disso, durante a rodada 29 da LALIGA EA SPORTS e a rodada 31 da LALIGA HYPERMOTION, entre outras ações, os jogadores vestiram a camisa da iniciativa, que também esteve disponível no Ultimate Team do FC 24.

Manual do Jogador: É entregue a todos os jogadores no início de cada temporada, tanto em formato físico quanto através do aplicativo exclusivo Players. Ele conscientiza os jogadores sobre a violência e o racismo e os encoraja não apenas a viver os valores do respeito, mas também a denunciar comportamentos violentos ou racistas.

Jornadas de Formação em conjunto com a Direção Geral da Polícia: direcionadas aos vigilantes de segurança nos estádios de futebol, incluindo uma palestra sobre crimes de ódio.

Manual do Torcedor: elaborado em colaboração com as Federações de Torcidas dos Clubes, onde são lembradas as práticas que devem representar os valores do esporte. Eles são distribuídos nos estádios no início de cada temporada.

Projetos em colaboração com os clubes: mensagens contra o racismo e a xenofobia nos sistemas de som e nos telões dos estádios, bem como em suas redes sociais.

Como membros da Comissão Estadual contra a Violência, o Racismo, a Xenofobia e a Intolerância no Esporte, a LALIGA participa, promove e apoia todas as iniciativas propostas para combater comportamentos racistas no âmbito esportivo.

No que diz respeito à luta contra os grupos violentos, a LALIGA obteve sentenças condenatórias notáveis proferidas por diferentes Audiências provinciais, podendo-se citar como exemplo as de Astúrias (nº 18/2022 de 18 de abril de 2022 e Nº 6/2020 de 11 de fevereiro de 2020), Madrid (nº 324/2019 de 6 de maio de 2019 e Nº 194/2019 de 25 de março de 2019) ou Pontevedra (Nº248/2021 de 21 de junho de 2021), resultando que, além da imposição de penas de prisão, multas e ordens de afastamento dos estádios para seus autores, em vários casos os condenados foram enviados para a prisão.

Por fim, é importante destacar que, em 5 de fevereiro de 2024, a Audiência Provincial de Madrid (Seção nº30) emitiu uma sentença confirmando parcialmente a condenação previamente imposta pelo Tribunal Penal nº23 de Madrid a 75 dos 82 acusados por sua participação no tumulto em que faleceu Francisco Javier Romero Taboada “Jimmy”, muitos dos quais foram julgados em grande parte devido aos recursos repetidos da LALIGA contra as sucessivas decisões que limitavam o julgamento a pouco mais de uma dezena de participantes.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Água Fria, BA
19°
Tempo limpo

Mín. 18° Máx. 28°

19° Sensação
1.59km/h Vento
96% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
05h54 Nascer do sol
05h19 Pôr do sol
Ter 28° 18°
Qua 28° 20°
Qui 30° 18°
Sex 29° 18°
Sáb ° °
Atualizado às 22h01
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,81 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,13%
Bitcoin
R$ 360,886,68 -1,86%
Ibovespa
121,341,13 pts 0.74%
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias