17°C 29°C
Água Fria, BA
Publicidade

Velocista acreano bate própria marca e faz segundo melhor tempo do mundo nos 100m durante Troféu Brasil

A competição, que reúne quase 70 atletas paralímpicos, acontece até este domingo, 30, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

29/06/2024 às 12h59
Por: Redação EF
Compartilhe:
Ale Cabral / CPB
Ale Cabral / CPB

O velocista acreano Edson Cavalcante conseguiu melhorar a sua própria marca nos 100m da classe T37 (paralisados cerebrais) e fez o segundo melhor tempo do mundo da prova em 2024 na manhã desta quinta-feira, 27, no Troféu Brasil de Atletismo. A competição, que reúne quase 70 atletas paralímpicos, acontece até este domingo, 30, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

Continua após a publicidade

Ao todo, a competição reunirá 875 atletas olímpicos e paralímpicos de 21 estados e do Distrito Federal. Ela será válida para a obtenção de índices olímpicos para os Jogos de Paris 2024 e para o Mundial sub-20 da modalidade, a ser realizado de 26 a 28 de julho em Lima, no Peru.

Edson correu a semifinal da disputa em 11s26, tempo maior somente que os 11s09 registrados pelo fluminense Ricardo Mendonça no Open Internacional de atletismo, em abril deste ano.

Em fevereiro deste ano, o atleta, que tem os movimentos do braço direito reduzidos devido à uma paralisia cerebral, havia feito o tempo de 11s36 nos 100m T37 na 1ª etapa do Desafio CPB/CBAt. Até então, esse era o segundo melhor índice do ano.

Continua após a publicidade

Já no Mundial de Kobe 2024, no Japão, Edson completou a mesma distância em 11s77 e terminou na quarta colocação. Sua melhor marca pessoal na disputa, no entanto, é 11s08.

“Estávamos fazendo bons treinos. Tínhamos a expectativa de sair um bom resultado nesta competição. Hoje, o clima ajudou e conseguimos alcançar esse objetivo que era de alcançar essa marca. Correr nesse tempo dá um ânimo a mais para os Jogos de Paris 2024. Vamos passo a passo”, afirmou o atleta, que competiu pelo Instituto Athlon. A convocação do atletismo está marcada para o próximo dia 11 de julho.   

Edson repetiu o mesmo tempo na final paralímpica da prova, disputada na tarde desta quinta-feira, mas acabou na quinta posição. O acreano viu o carioca Washington Nascimento (T47, amputados de braço), também do Instituto Athlon, vencer a decisão, com o tempo de 10s82. O sul-mato-grossense Fabrício Ferreira (T13, deficiência visual), do Time Nauru, chegou na segunda colocação, com 10s99, e o rondoniense Kesley Teodoro (T12, deficiência visual), do clube APC, completou no terceiro lugar, com 11s11. Todas as disputas paralímpicas na competição estão sendo multiclasses.

Já na final feminina, a maranhense Rayane Soares (T13), que representou o Instituto Athlon, finalizou a disputa na primeira colocação, com 12s23, tempo um pouco mais rápido do que os 12s41 que lhe renderam a medalha de prata no Mundial de Kobe 2024 na mesma distância.

Continua após a publicidade

A fluminense Viviane Ferreira Soares (T12), do Time Nauru, chegou na segunda posição, com 12s93, enquanto a sul-mato-grossense Gabriela Mendonça (T13), do Sesi-SP, foi a terceira colocada, com 13s05.

Campeão mundial em Kobe 2024 na prova dos 400m T37, o maranhense Bartolomeu Chaves esteve entre os atletas paralímpicos que competiram na prova. Fez 52s44, tempo pouco maior que os 50s74 que lhe renderam a medalha de ouro no Japão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Água Fria, BA
19°
Tempo nublado

Mín. 17° Máx. 29°

19° Sensação
3.95km/h Vento
84% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
05h55 Nascer do sol
05h27 Pôr do sol
Ter 25° 17°
Qua 26° 17°
Qui 24° 17°
Sex 25° 17°
Sáb 29° 18°
Atualizado às 19h01
Economia
Dólar
R$ 5,57 -0,50%
Euro
R$ 6,07 -0,52%
Peso Argentino
R$ 0,01 -1,40%
Bitcoin
R$ 399,615,70 +0,43%
Ibovespa
127,859,63 pts 0.19%
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias